FLORA OF SAVANNAH THREATENED IN THE TAPAJÓS RIVER BASIN, AMAZON: ETHNOBOTANY AS A CONSERVATION TOOL

Beatriz Souza, Patricia Chaves de Oliveira

Abstract


Riverside communities in the Tapajós Basin have vast traditional knowledge about uses of local flora. Such traditional knowledge transmitted from generation to generation is threatened by anthropic pressure on such ecosystems in the Amazon. The Juá Environmental Preservation Area (APA Juá) is one such area. The objective of this work was to characterize the traditional knowledge of a women and last group living on APA Juá, Santarém city, Pará state, through an Ethnobotanical study. From interviews with a semi - structured questionnaire, guided visit and herborization of the mentioned plant species, the method was configured, for later treatment of ethnobotanical variables by non - parametric analysis. Thirty - six ethnospecies useful for families were identified, distributed in 23 families and 34 genera. The species with the highest relative frequency of citations were Jurú (C. icaco), Piranga (M. apiranga) and Muruci (B. crassifolia.). Açaí (E. oleracea) was the specie with the highest Value of Use, suggesting the importance of conservation of it for sub existence and reproduction of these families over time. Among the medicinal plants, the boldo (P. barbatus), the lemon grass (L. alba), the guava (P. guajava) and the mint (M. villosa) stand out. Ethnobotanical research demonstrates that it is a good tool for popularizing and valuing traditional knowledge of riverside communities, but it is mainly used as a tool for socioenvironmental denunciation of savannas degradation in the Tapajós Basin.

Keywords


Value of Use, Açaí, Murici, Medicinal Plants, riverside community, traditional knowledge, agroecosystems

Full Text:

PDF

References


Abreu JRP (2015) Gestão ambiental aplicada ao urbanismo. Estudo de caso: Expansão Urbana no Município de Santarém – Pará – Brasil. Masters Dissertation Universidade Federal do Pará, Pará, Brazil.

Aguiar JPL, Marinho HÁ, Rebêlo YS, Shrimpton R (1980) Aspectos Nutritivos de Alguns Frutos da Amazônia. Acta amazônica, 10(4): 755-758.

Albuquerque UP, Lucena RFP, Monteiro JM, Florentino ATN, Almeida CFCBR (2006) Evaluating Two Quantitative Ethnobotanical Techniques. Ethnobotany Research & Applications, 4:51-60.

Albuquerque UP, Lucena R, Cunha LVT (2010) Métodos e Técnicas na Pesquisa Etnobiológica e Etnoecológica. 1. ed. Nupeea, Recife, 558 p.

Almeida SE, Pasa MC, Guarim VLMS (2014) Uso da biodiversidade em quintais de comunidades tradicionais da Baía de Chacorore, Barão de Melgaço, Mato Grosso, Brasil. Biodiversidade, 13(1):141-155.

Allut AG (2001) O Conhecimento dos Especialistas e Seu Papel no Desenho de Novas Políticas Pesqueiras. In: Diegues AC (org). Etnoconservação: novos rumos para a proteção da natureza nos trópicos. 2 ed. São Paulo: Hucitec e NUPAUB, pp. 101-123.

Alves GSP, Povh JA (2013) Estudo etnobotânico de plantas medicinais na comunidade de Santa Rita, Ituiutaba – MG. Biotemas, 26(3):231-242.

Amaral CN, Neto GG (2008) Os quintais como espaços de conservação e cultivo de alimentos: um estudo na cidade de Rosário Oeste (Mato Grosso, Brasil) (2008) Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ciências Humanas, Belém, 3(3):329-341.

Amorozo MCM (2002) Agricultura Tradicional, Espaços de Resistência e o Prazer de Plantar. In: Albuquerque UP. et al (eds) Atualidades em Etnobiologia e Etnoecologia. Recife: Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia.

Anzaldo FE, Ludan AC, Cruz RY, Manalo JB, Liao MTP, Quilao SS, Coronel VQ (1982) Modified coconut water: a suitable fluid for oral rehydration. Philippine Journal of Science, 109(1):9-14.

Araújo MVLF, Silva KCA, Silva BB, Ferreira ILS, Cintra IHA (2014) Pesca e procedimentos de captura do Camarão-da-Amazônia a jusante de uma Usina Hidrelétrica na Amazônia Brasileira. Biota Amazônia, Macapá, 4(2):102-112.

Ayres M, Ayres M Jr, Ayres DL, Santos AAS (2007) Bioestat 5.3: Aplicações Estatísticas nas Áreas das Ciências Biológicas e Médicas. Belém-PA, 364p.

Badke MR, Budó MLD, Silva FM, Ressel LB (2011) Plantas medicinais: o saber sustentado na prática do cotidiano popular. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 15(1):132-139.

Baptistel AC, Coutinho JMCP, Lins Neto EMF, Monteiro JM (2014) Plantas medicinais utilizadas na Comunidade Santo Antônio, Currais, Sul do Piauí: um enfoque etnobotânico. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Campinas, 16(2):406-425

Barlow J, Peres CA (2004) Avifaunal responses to single and recurrent wildfires in Amazonian forests. Ecological Applications, 14(5):1358-1373.

Brandão CRF, Barros AL, Lameira CC, Palheta FC, Galvão JR (2015) O açaí no estado do Pará e seu potencial para o desenvolvimento sustentável da região. In: Anais do 2º Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia. 72º Semana Oficial de Engenharia e da Agronomia, Ceará, Brazil.

Braga J (2013) Etnobotânica e ecofisiologia de vegetações em cenários indígenas na região do Tapajós como indicadores de estudos de interação biosfera-atmosfera na Amazônia. Masters Dissertation, Universidade Federal do Oeste do Pará, Pará, Brazil.

BRASIL. Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm]. Acessed: 26 December 2017.

Calvano CCA, Canabarro R, Belmonte SK, Hajar AS, Ethur LZ (2011) Perfil de consumidores de plantas medicinais da comunidade ribeirinha do município de Itaqui-RS. In: Anais do 3º Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, Universidade Federal do Pampa, Rio Grande do Sul, Brazil.

Carneiro DB, Barboza MSL, Menezes MP (2010) Plantas nativas úteis na Vila dos Pescadores da Reserva Extrativista Marinha Caeté-Taperaçu, Pará, Brasil. Acta Botanica Brasilica, 24(4):1027-1033.

Cavalcante SC (2014) Ecossistema de várzea: Etnobotânica e Ecofisiologia. Masters Dissertation, Universidade Federal do Oeste do Pará, Pará, Brazil.

CHAVES, M. S (2016) Plantas alimentícias não convencionais em comunidades ribeirinhas na Amazônia. Masters Dissertation, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brazil.

Coelho-Souza SA, Marba PL, Miranda MR, Ribeiro RA, Pitarello BB, Vannier-Santos MA, Panetti CS, Brito EF, Cabral DK, Azevedo e Silva CE, Malm O, Bastos WR (2015) Alternativas sustentáveis na falta de saneamento básico para populações ribeirinhas amazônicas: uma abordagem desde a indagação comunitária até a bioconstrução coletiva. In: Anais do 7º Simpósio Nacional de Geografia da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Brasília, Brazil.

Costa IBC, Bonfim FPG, Pasa MC, Montero DAV (2017) Ethnobotanical survey of medicinal flora in the rural community Rio dos Couros, state of Mato Grosso, Brazil. Boletín Latinoamericano y del Caribe de Plantas Medicinales y Aromáticas, 16(1):53-67

Di Stasi LC, Guimarães EM, Santos CM, Hiruma-Lima CA (2002) Lamiales medicinais. In: Di Stasi LC, Hiruma-Lima CA (eds) Plantas medicinais na Amazônia e na Mata Atlântica. 2. ed. São Paulo: UNESP, p. 406-448.

Diegues AC (2000) Etnoconservação da natureza: Enfoques alternativos. In: Diegues AC (org) Etnoconservação. Novos rumos para a conservação da natureza. HUCITEC, NUPAUB-USP, São Paulo, Brasil, p.1-46.

Elisabetsky E (1997) Etnofarmacologia de algumas tribos brasileiras. In: Ribeiro D. Suma etnológica brasileira. Petrópolis: Vozes.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (2008_ Manual de prática de coleta e herborização de material botânico. Colombo-PR: 1ª ed., 31 p.

Flor ASSO, Barbosa WLR (2015) Sabedoria popular no uso de plantas medicinais pelos moradores do bairro do sossego no distrito de Marudá – PA. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Campinas, 17(4):757-768.

Franco EAP, Barros RFM (2006) Uso e diversidade de plantas medicinais no Quilombo Olho D’água dos Pires, Esperantina, Piauí. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, 8(3):78-88.

Freitas AVL, Coelho MFB, Pereira YB, Freitas Neto EC, Azevedo RAB (2015) Diversidade e usos de plantas medicinais nos quintais da comunidade de São João da Várzea em Mossoró, RN. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Campinas, 17(4):845-856.

Friedman J, Yaniv Z, Dafni A, Palewith D (1986) A preliminar classification of the heling potencial of medicinal plants, based on a rational analysis of na ethnopharmacological field survey among bedouins in the Neveg desert, Israel. Journal of Ethnopharmacology, 16(1):275-287.

Germano CM, Lucas FCA, Martins ACCT, Moura PHB, Lobato GJM (2014) Comunidades ribeirinhas e palmeiras no município de Abaetetuba, Pará, Brasil. Scientia Plena, 10(11):1-10.

Gois MAF, Lucas FCA, Costa JCM, Moura PHB, Lobato GJM (2016) Etnobotânica de espécies vegetais medicinais no tratamento de transtornos do sistema gastrointestinal. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Campinas, 18(2):547-557.

Imanã-Encinas J, De Paula JE (2003) Análise da vegetação de cerrado no município de Santa Quitéria – Maranhão. Brasil Florestal, 78(1):33-42.

Jannuzzi H, Mattos JKA, Silva DB, Gracindo LAM, Vieira, RF (2011) Avaliação agronômica e química de dezessete acessos de erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) N.E.Brown) - quimiotipo citral, cultivados no Distrito Federal. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 13(3):258-264.

Jesus NZT, Lima JCS, Silva RM, Espinosa MM, Martins DTO (2009) Levantamento etnobotânico de plantas popularmente utilizadas como antiúlceras e anti-inflamatórias pela comunidade de Pirizal, Nossa Senhora do Livramento – MT, Brasil. Revista Brasileira de Farmacognosia, 19(1)130-139.

Judd WS, Campbell CS, Kellogg EA, Stevens PF, Donoghue MJ (2009) Relações filogenéticas das Angiospermas. In: Judd WS, Campbell CS, Kellogg EA, Stevens PF, Donoghue MJ (eds) Sistemática vegetal: um enfoque filogenético. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, p. 225-508.

Júnior GJS, Peregovich BG, Dantas AB, Silva, CGC, Sousa IPN, Silva VM (2015) Levantamento dos impactos causados pelos empreendimentos nas proximidades do Lago do Juá – Santarém-PA. In: Anais do 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental. Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental, Rio Grande do Sul, Brazil.

Köppen W (1948) Climatologia: con un estudio de los climas de la tierra. Fondo de Cultura Econômica. México, 479p.

Labaki LC, Santos RFS, Bueno-Bartholomei CL, Abreu LVA (2011) Vegetação e conforto térmico em espaços urbanos abertos. Fórum Patrimônio, 4(1):23-42.

Lima CB (2000) Plantas medicinais utilizadas em duas localidades do Município de Bandeirantes, PR. Masters Dissertation, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, Brazil.

Lira TM, Chaves MPSR (2016) Comunidades Ribeirinhas na Amazônia: Organização Sociocultural e Política. Interações, Campo Grande, MS, 17(1)66-76.

Locatelli SH (2009) Plano Amazônia Sustentável: uma nova concepção estatal de desenvolvimento para a Amazônia? Masters Dissertation, Universidade de Brasília, Brasília, Brazil.

Martins AG, Rosário DL, Barros MN, Jardim MAG (2005) Levantamento Etnobotânico de Plantas Medicinais, Alimentares e Tóxicas da Ilha do Combu, Município de Belém, Estado do Pará, Brasil. Revista Brasileira de Farmacognosia, 86(1):21-30.

Martínez GB, Junior MM, Junior SB (2010) Seleção de Ideótipos de Espécies Florestais de Múltiplo Uso em Planícies Fluviais do Baixo Amazonas, Pará. Acta Amazonica, 40(1):65-74.

Mcgrath DG (1991) Varzeiros, Geleiros e o Manejo dos Naturais na Várzea do Baixo Amazonas. Belém, PA: Núcleo de Altos Estudos Amazônicos - UFPA, 25p.

Mendonça VCM, Del Bianchi VL (2014) Agronegócio do Açaí (Euterpe oleracea Mart.) no Município de Pinheiro-MA. Revista SODEBRAS, 9(100):62-65.

Monteiro MJS (2012) Conhecimento e uso de plantas medicinais nas comunidades de uma unidade de conservação: uma contribuição para a gestão da APA Algodoal Maiandeua. Masters Dissertation, Universidade Federal do Pará, Pará, Brazil.

Moreira RCT, Costa LCB, Costa RCS, Rocha EA (2002) Abordagem Etnobotânica Acerca do Uso de Plantas Medicinais na Vila Cachoeira, Ilhéus, Bahia, Brasil. Acta Farmacéutica Bonaerense, 21(3):205-211.

Moura PHB (2012) Estudo etnobotânico e caracterização dos constituintes minerais de chás medicinais utilizados pela comunidade Rio Urubueua de Fátima, Abaetetuba-PA, Brasil. Masters Dissertation, Universidade do Estado do Pará, Pará, Brazil.

Murrieta RSS (2001) Dialética do sabor: alimentação, ecologia e vida cotidiana em comunidades ribeirinhas da Ilha de Ituqui, Baixo Amazonas, Pará. Revista de Antropologia, São Paulo, 44(2):39-88.

Oliveira J, Potiguara RCV, Lobato LCB (2006) Fibras vegetais utilizadas na pesca artesanal na microrregião do Salgado, Pará. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ciências Humanas, Belém, 1(2):113-127.

Oliveira RLC (2016) Uso e conhecimento das espécies lenhosas em uma comunidade indígena na savana de Roraima. 2016. 123 f. Doctoral Thesis, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Amazonas.

Oliveira RLC, Scudeller VV, Barbosa RI (2017) Use and traditional knowledge of Byrsonima crassifolia and B. coccolobifolia (Malpighiaceae) in a Makuxi community of the Roraima savanna, northern Brazil. Acta Amazonica, 47(2):133-140.

Oliveira WP, Trindade JR, Fernandes DA (2014) O planejamento do desenvolvimento regional na Amazônia e o ciclo ideológico do desenvolvimentismo no Brasil. Ensaios FEE, Porto Alegre, 35(1):201-230.

Pasa MC (2007) Interpretação zoocultural na comunidade de Conceição-Açu (Alto da Bacia do rio Ariçá-Açu-MT, Brasil). Biodiversidade, Cuiabá, 6(1):2-12.

Pasa MC (2011) Saber local e medicina popular: a etnobotânica em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ciências Humanas, Belém, 6(1):179-196.

Phillips O, Gentry AH (1993) The useful plants of Tambopata, Peru: I. Statistical Hypoteses tests with a new quantitative technique. Economic Botany, 47(1):15- 32.

Pinto EPP, Amorozo MCM, Furlan A (2006) Conhecimento popular sobre plantas medicinais em comunidades rurais de Mata Atlântica – Itacaré, BA, Brasil. Acta Botanica Brasilica, Feira de Santana, 20(4):751-762.

Pizzolatto M (2004) Estudos etnobotânicos de plantas medicinais utilizadas por produtores orgânicos da região de Botucatu – SP. Masters Dissertation, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, Brazil.

Ribeiro BA (1985) Arte do trançado dos índios no Brasil: um estudo taxonômico. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi; Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Folclore.

Rocha EMS, Silva AS, Medeiros PM, Nascimento VT (2014) A abundância local de um recurso afeta o conhecimento sobre as espécies vegetais em uma área de Cerrado? In: Anais do 10º Simpósio Brasileiro de Etnobiologia e Etnoecologia. Universidade Estadual de Montes Claros, Minas Gerais, Brazil.

Rocha JFG (2014a) Solos da região sudeste do Município de Santarém, estado do Pará: Mapeamento e classificação. Masters Dissertation, Universidade Federal do Oeste do Pará, PA, Brazil.

Rocha TT (2014b) Levantamento etnobotânico de plantas utilizadas pelas comunidades da Reserva Extrativista Marinha de Soure, Pará, Brasil. Masters Dissertation, Universidade Federal do Pará, Pará, Brazil.

Rocha TT, Martins ACCT, Lucas FCA (2013) Levantamento etnobotânico de plantas úteis do povoado do Céu, Reserva Extrativista Marinha de Soure - PA. In: Anais do 64º Congresso Nacional de Botânica. Sociedade Brasileira de Botânica, Minas Gerais, Brazil.

Rodrigues AG (2002) Biodiversidade e etnociência de plantas medicinais da comunidade Miguel Rodrigues-MG. Doctoral Thesis, Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, Brazil.

Rossato SC, Leitão Filho H, Begossi A (1999) Ethnobotany of Caiçaras of the Atlantic Forest Coast (Brazil). Economic Botany, 53(1):387-395.

Sanaiotti TM, Magnusson WE (1995) Effects of annual fires on the production of fleshy fruits eaten by birds in a Brazilian Amazonian savanna. Journal of Tropical Ecology, 1(11):53-65.

Santos MG, Fevereiro PCA, Reis GL, Barcelos JI (2009) Recursos vegetais da restinga de Carapebus. Revista Biologia Neotropical, 6(1):35-54.

Santos MRA, Lima MR, Ferreira MGR (2008) Uso de plantas medicinais pela população de Ariquemes, em Rondônia. Horticultura Brasileira, 26(2):244-250.

Santos-Silva JPG, Oliveira PC (2016) Etnobotânica de plantas medicinais na comunidade de várzea Igarapé do Costa, Santarém-Pará, Brasil. Revista Ambiente y Sostenibilidad, 6(1):136-151.

Schardong RMF, Cervi AC (2000) Estudos etnobotânicos das plantas de uso medicinal e místico na comunidade de São Benedito, Bairro São Francisco, Campo Grande, MS, Brasil. Acta Biológica Paranaense, Curitiba, 29(1):187-217.

Scholes RJ, Archer SR (1997) Tree-grass interactions in savannas. Annual Review of Ecology and Systematics, 28:517-544.

Semedo RJCG, Barbosa RI (2007) Árvores frutíferas nos quintais urbanos de Boa Vista, Roraima, Amazônia Brasileira. Acta Amazonica, 37(1):497-504.

Silva KKS (2005) Identificação de recursos florestais em três comunidades de agricultores familiares na estrada da várzea, no município de Silves-AM. Masters Dissertation, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Amazonas, Brazil.

Silva MS, Antoniolli AR, Batista JS, Mota CN (2006) Plantas medicinais usadas nos distúrbios do trato gastrintestinal no povoado Colônia Treze, Lagarto, SE, Brasil. Acta Botanica Brasilica, 20(4):815-829.

Siviero A, Delunardo TA, Haverroth M, Oliveira LC, Mendonça AMS (2012) Plantas medicinais em quintais urbanos de Rio Branco, Acre. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, 14(4):598-610.

Sousa MJS (2009) Etnografia da produção de artefatos e artesanatos em comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã – Médio Solimões. UAKARI, 5(1):21-37.

Souza BCOQ, Paulino IR (2017) Levantamento etnobotânico de plantas medicinais cultivadas na comunidade quilombola de Arapucu (Óbidos-PA). In: Anais do III Encontro Regional Sobre Biodiversidade e Biologia de Organismos Neotropicais. UFOPA, Pará, Brazil.

Souza CCV (2010) Etnobotânica de quintais em três comunidades ribeirinhas na Amazônia Central, Manaus – AM Masters Dissertation, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Amazonas, Brazil.

Tardío J, Prado-De-Santayana M (2008) Cultural importance indices: a comparative analysis based on useful wild plants of Southern Cantabria (Northern Spain). Economic Botany, 62(1):24-39.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.

Comments on this article

View all comments




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright © 2018 INTERNATIONAL EDUCATION AND RESEARCH JOURNAL